Blogg

« June 2008 | Main | August 2008 »

ThursdayJuly 312008

Realmente me senti o meu próprio agente de viagens

Acabei de voltar da minha segunda viagem à Europa, que teve cara de primeira. Explico: na primeira vez viajei acompanhado de pessoas que já tinham ido muitas vezes, não fiz as coisas que gostaria de fazer… Bom, como os blogs da Travelstart me ajudou MUITO, resolvi deixar aqui a minha contribuição:
Meu roteiro incluiu Londres, Bruxelas, Amsterdam, Paris e Lisboa. Londres foi incluído inesperadamente, tinha uma idéia de roteiro, parte dele eu já sabia o que fazer e outra queria sair sem rumo, na parte planejada comprei um bilhete ida e volta para Lisboa que neste caso é uma ótima opção pelo idioma ser o português para os brasileiros que ainda estão com um pouco de medo de arranhar o pouco que sabe de outro idioma além de ser o ponto mais baixo da Europa além de Madrid, obviamente oferecendo o menor valor. Lisboa também é uma ótima opção para quem vai iniciar a viagem do Nordeste Europeu, a TAP tem opções de vôos diretos à partir de algumas cidades de lá para Lisboa, Isso quer dizer que você não precisa ir até São Paulo ou Rio de Janeiro para chegar a Europa, mas você não precisa parar em Lisboa, pra mim foi a melhor opção.
499937790_b08494f405_b_3 De Lisboa a minha intenção era conhecer também Bruxelas, Amsterdam e Paris, tudo sem ter aquela preocupação de seguir aqueles roteiros marcado como os famosos pacotes de viagens, muitas vezes você quer ficar mais alguns dias numa determinada cidade e menos em outra, mas só descobre isso depois que chega lá e descobre que não era o que você esperava. Os meus roteiros internos tinha decidido que faria de Trem, um amigo me falou que existem passagens de Trem bem baratos na Europa, até para quem chega de última hora, mas que você pode chegar lá e não ter mais vagas, foi o que aconteceu com a minha primeira experiência, daí resolvi mudar de estratégia, entrei novamente no site da Travelstart e percebi que tinha como comprar até os trechos internos e com ótimos preços, resolvi comprar e ir voando, ganharia mais tempo e em alguns trechos aéreo saiu até mais em conta, eu não sabia que eles vendiam até as low cost Européias, os meus trechos internos todos foram um achado. Como a minha viagem estava indo bem,  estava ganhando tempo por fazer os trechos internos de avião e ainda economizei um pouco, resolvi incluir também Londres a minha viagem, fiquei somente três dias lá, realmente é um pouco caro como dizem, mas vale a pena conhecer, temos só que nos controlar um pouco. Uma dica para dinheiro é o Visa Travel Money (é um visa electron pré pago, assim você controla melhor os seus gastos), levei apenas algumas libras em dinheiro vivo, porque estava com medo de andar com muito dinheiro e não queria correr o risco de gastar demais no meu cartão de crédito e ao chegar a fatura me deparar com aquele valor absurdo do valor cambial da administradora. Só é preciso ter cuidado porque alguns lugares só passam no cartão compras a partir de 20 euros. A taxa para sacar dinheiro em moeda local era de 2,50 euros. Uma outra dica legal é referente ao transporte nas cidades, comprei passes para utilizar os transportes públicos durante um número de dias fixo. Dá para encontrar essas informações na internet e já sair daqui sabendo a melhor opção em cada lugar. Em Paris, não deu para comprar a Carte Orange, que é a mais barata, porque cheguei no meio da semana. Aliás que coisa boa que é a internet, você encontra de tudo, como o site da Travelstart, gosto da idéia do Viaje Bem e Barato onde os internautas podem tornar-se seus próprios agentes de viagens escolhendo seus próprios estabelecimentos de hospedagem em todo o Brasil e Exterior além de planejar sua viagem inteira e aos internautas cadastrados ainda recebem descontos e informativos de promoções. Não vou nem esperar chegar o próximo feriado, já vou começar a organizar algo, vou até começar a estudar as datas festivas como Natal, Reveilon, Carnaval, Páscoa e minhas próximas férias. Tarifas baratas e promoções aparecem e vão rapidamente, e ter a mão uma ferramenta de busca de melhores valores que você possa utilizar em qualquer dia a qualquer hora e que ainda te informa de promoções é a melhor maneira de descobrir o barato de viajar.
Deixo aqui o relato de minha experiência de viagem e espero que sirva de alguma ajuda.

Text by: André Carter, empresário que reside em São Paulo.
Photo by: Ciloé's "Voyage en TGV"

Posted by Silvia Fagundes at 09.44PM to Travel | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
TuesdayJuly 292008

Rodando uma semana por Mykonos - Grécia

258549452_efaa969721_2 Mesmo quando comecei a ler sobre Mykonos (Grécia) não poderia imaginar que uma ilhazinha (metade do tamanho da Ilha Grande-RJ) pudesse ser um verdadeiro paraíso para turistas de todas as partes do mundo.
Aeroporto internacional, hotéis de luxo e festas para todos os gostos. Uma mistura de férias familiares com liberdade total para todos os tipos e estilos.
Topless de todos os lados, algumas famílias de nudistas brincando com os filhos em algumas praias e casais gays. Tudo em perfeita sintonia e respeito com as pessoas consideradas ‘normais’.
As construções em pedra, pintadas de branco, com portas e janelas coloridas dão o toque no visual em todas a ilha. Fruto da madeira escarsa, esporádicos terremotos e da falta de dinheiro no passado para construções modernas - acabou virando marca registrada de ilhas gregas como Mykonos.
Mas o branco das casas se mistura às cores do belo mar limpo e transparente e ao céu com raras nuvens. A alegre música grega faz a trilha sonora dos milhares de turistas que circulam pela ilha nas épocas quentes do ano.
Para rodar pela ilha basta uma motinha ou um quadricículo (foi a nossa escolha). Para os mais exigêntes é possível alugar todos os tipos de carros. Mas, mesmo com uma altura máxima por volta de 350m e estradas razoáveis, o acesso à algumas praias é muitas vezes inviável. Aí quem resolve o problema são os barcos-taxi, embarcações de pescadores que se adaptam ao fluxo interminável de turistas cobrando um preço razoável.
258953379_4126d492bd_3 A ilha vive basicamente do turismo, e vive bem. Tirando o inverno, a quantidade de dinheiro que circula é incrível, justificando a total segurança. Nem sequer ouvi falar de assaltos ou qualquer coisa do gênero. Rodamos a qualquer hora do dia e da noite sem qualquer tipo de preocupação.
Platys Gialos, Paradaise e Super Paradaise são as principais e mais procuradas praias, sempre com inúmeros iates ancorados e protegidas dos fortes ventos do norte.
Para fugir do sol escaldante no conforto de uma cadeira de sol o preço é meio salgado, mas se comer em um dos restaurantes acaba sendo grátis. O atendimento e o estilo se parecem com o do nordeste brasileiro.
A comida grega é famosa em todo o mundo, de qualidade e saborosa. Mas o cuidado tem que ser tomado quanto ao reaproveitamento de frutos do mar e coisas do gênero que podem não ser tão frescos assim.
A cultura também está fortemente presente na ilha. Museus, muitos belos pontos turísticos (moínhos de vento, little venice, farol, igrejas…), visuais inesquecíveis como um belo pôr-do-sol no mar ou a paz de uma praia deserta. O centro da ilha é sempre cheio de turistas e têm lojas que vão dos souveniers aos grandes - e caros - negócios do mundo todo. Em meio ao comércio se misturam os restaurantes. Os gregos são sempre receptivos e gentis, quase todos falam inglês ou italiano fluentes.
Alemães, suíços e italianos lideram a lista dos turistas. Mas ví também muitos americanos, canadenses, espanhóis, australianos e - lógico - brasileiros. Todos na mesma sintonia, relaxando na praia ou curtindo nas noitadas que vão até de manhã na piscina ou na beira do mar.
Em casal, solteiro ou com os amigos, Mykonos será sempre uma bela pedida! Quem visita a ilha sabe que irá se surpreender a cada segundo. Seja com a cultura, paisagens, festas… surpresas que só um lugar assim pode oferecer.

Text by: Michel P. Zylberberg autor do blog Rodando pelo Mundo

Photo: Travelinknu

Posted by Josi Guimarães at 04.41PM to Travel | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
ThursdayJuly 242008

Passeio ecológico em São Paulo?

Isso mesmo, passeio ecológico em São Paulo!

São Paulo estado? Não! Na grande São Paulo mesmo queridos!

Fim de férias da criançada chegando, inverno quente na cidade, a ‘cidade da garoa’ que não chove faz tempo!

Ótimos motivos pra programar um passeio ecológico por Sampa pra quem não foi viajar, pra quem ta voltando ou passando por São Paulo.

Ao contrário do que muita gente pensa, a cidade conhecida por sua poluição dá ótimas opções para quem quer algo mais verde, sem os barulhos habituais, pássaros (não pombos e urubus), trilhas, cachoeiras...

Dúvida? Então você não conhece esse lado natureza de paz e amor da cidade o que não é nenhum absurdo pois tem muitos paulistanos que nem nunca ouviram falar disso, mas conhecem todos os Shoppings Centers da cidade!

Pico do Jaraguá, Jardim Botânico, Represa do Guarapiranga, Parque da Água Branca e a Serra da Paranapiacaba são umas das opções mais bacanas que podemos encontrar na Grande São Paulo.

46980867_0dd7603afc_o_3 O Jardim Botânico por exemplo, sim São Paulo também tem Jardim Botânico, fica próximo ao Zoológico no Parque do Estado (ou oficialmente: Parque Estadual Fontes do Ipiranga), mas muita gente que reside na cidade já cansou de ir no Zoológico, mas nunca foi no Jardim Botânico, onde é possível fazer trilha no interior de uma reserva florestal e no caminho tomar água diretamente de uma fonte, há também estufa com Orquidário e outras espécies, Túnel de Bambu, Parque do Sentido aonde é permitido tocar nas plantas para sentir a textura, o aroma e até o sabor (único local do parque onde isso é permitido), um Castelinho para crianças, um Mirante além de outros cantinhos.

Já o pico do Jaraguá, localizado no extremo oeste da Serra da Cantereira, é o ponto culminante da cidade de São Paulo, elevando-se a uma altitude de 1135 metros. Nos seus arredores foi criado o Parque Estadual do Jaraguá, para conservação da área, atualmente é possível fazer uma única trilha das 8 existentes, que estão fechadas para manutenção mas lá você ainda encontra uma aldeia que mantém a língua e os costumes guaranis e sobrevive do artesanato, a Aldeia do jaraguá ytu, além de locais para piquenique, lanchonete e playground.

E não só de poluição que vive a Represa Guarapiranga (ainda bem!), apesar de seu lado vergonhoso, tem também aquele que virou a praia dos paulistanos e local para quem gosta de esportes náuticos como velas e regatas, aliás foi o local aonde aos 9 anos de idade o medalhista Olímpico, o velejador Robert Scheidt iniciou sua trajetória no esporte. A represa também tem seus atrativos como o Templo Solo Sagrado “de um lado a imensidão da Represa de Guarapiranga. De outro, o verde em seus inúmeros tons. Tudo feito para que as pessoas, ao caminharem, possam sentir toda a dádiva da Mãe-Natureza" (retirado do site).

Agora você está vendo que opção ecológica em São Paulo é o que não falta! Pena que não é maior que a poluição!


Photo: André de Lucca, Jardim Botânico de São Paulo.

Posted by Flavia Mariano at 09.34PM to Travel | Link permanente | Comentários (1) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
MondayJuly 212008

Cuba para quem quer Cuba

184850110_bb64e76981_b Nesse fim de semana, li uma entrevista da Yoani Sánchez numa dessas revistas femininas e muita coisa me passou pela cabeça, coisas que vou dividir com vcs aqui.


Yoani Sánchez pra quem não sabe (eu não sabia) é autora do blog Generación Y, um blog sobre o cotidiano dela na Ilha Cubana, e por que isso me despertou tanto interesse? Bom, como muitos sabem Cuba não é um país com tecnologias, muito pelo contrário, o que nos surpreende ainda mais, pois o blog da Yoani teve 4 milhões de acessos em um único mês, um dos posts já recebeu 6 mil comentários, seus leitores são maioria cubanos radicados nos Estados Unidos, Espanha e Itália, e foi reconhecida como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo pela revista Time neste ano, detalhe: em Cuba, foi citado Evo Morales (presidente da Bolívia) como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo, mas nem mencionaram que havia uma cubana na lista.


Fiquei pensando sobre essa situação de Cuba. Com certeza o blog da Yoani abriu espaço pra muita gente falar (comentar) o que pensa em relação ao regine de Fidel Castro, já que em “Cuba se uma pessoa faz, imprime e distribui um pequeno jornal, é um delito que se chama propaganda inimiga, de acordo com o Código Penal, mas não há leis que impeçam um cubano de colocar opiniões na internet” como a própria Yoani explica na entrevista.


Um país com uma cultura tão interessante, mas tão sofrida, um regime que foi sufocando, sufocando... porém com um povo tão disposto a não deixar essa cultura, ou mesmo Cuba morrer.


Lembrei que quando vi o documentário Buena Vista Social Club tive a mesma sensação triste que tive ao ler essa entrevista da Yoani na revista, apesar do documentário ser lindo, fiquei imaginando como seria ser um artista, um escritor, ou ter qualquer outra profissão em Cuba, mas apesar de tudo que esse povo já passou, ou passa, eles são fortes, aprederam a amar essa Ilha e fazer suas vidas do jeito que dava, um povo como podemos ver a cada olimpíada defendendo seu país com muita garra e entusiasmo sempre com boas colocações e entre as potencias mundiais, e para que tudo isso se não tivessem amor por essa Ilha?


Apesar de próxima dos Estados Unidos e por uma questão política, a Ilha não sofreu influência Norte Americana, foi marcada pela influência da Espanha e África, Cuba tem muitas particularidades além do povo e da cultura, e que tem atraído muitos turistas para suas belezas naturais, e ao contrário do povo de lá, o turista tem certos confortos e acesso a certas coisas que a população não tem, já ouvi muita gente dizer que em Cuba o tempo parou, tudo lá é antigo, os carros (poucos carros), os eletrodomésticos, as roupas...


Cuba é um país numa Ilha próxima a região do Caribe, que cada vez mais desperta interesse e curiosidade nas pessoas, e se não te despertou interesse, foi porque você ainda não a viu de verdade, porque não é um país para se visitar, mas sim um país a ser descoberto em todos os sentidos.


Photo: Ilkerender 

Posted by Josi Guimarães at 10.16PM to Travel | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
MondayJuly 142008

Vaticano: seja católico ou não - parte 2

240896795_1d8898d8e3_o_3 Não sei porque, mas a sensação que tenho é a de que eu entrei sozinho naquela imensa igreja. Não me lembro dos turistas, tudo que me lembro é da minha experiência pessoal com aquele prédio cheio de história. Tente colocar na sua cabeça toda aquela imensidão. Logo depois de entrar, você vai ser automaticamente levado a olhar para o seu lado direito. Se eu tivesse qualquer tendência em me tornar Católico, acho que aquele seria o momento perfeito para fazê-lo: o momento em que vislumbrei La Pietá. Uma capela simples com essa escultura que te magnetiza: uma mãe com o filho adulto deitado em seu colo. Eu andei por toda a igreja, mas de alguma forma era sempre levado a voltar e olhar aquela cena de novo. Sem dúvida, uma das coisas mais bonitas que já ví. Como é que Michelangelo, aos 24 anos de idade, no ano de 1499, conseguiu tal proeza em mostrar tantos sentimentos e emoções naquela escultura? Esse foi mais um momento em que não me lembro de nenhum turista ao meu lado. Falo isso porque eu tenho visto algumas fotos do Vaticano e está sempre cheio de gente andando para lá e para cá. Creio que eu tenho essa capacidade de me isolar com a experiência do momento nessas viagens.

Ao andar pela Basílica de São Pedro (que não é a Catedral de Roma) tenha consciência de que você está entrando na maior igreja Católica do mundo. Olhe em todas as direções, inclusive o chão de mármore onde você vai encontrar o nome e símbolo das dioceses do mundo inteiro.
Não deixe de visitar a cripta onde você pode ver o túmolo de papas recentes e do passado. Quer algumas informações da grandesa desse monumento? São 31 altares, 27 capelas dentro da basílica, 390 estátuas, 135 mosaicos e 15 mil metros quadrados de mármore.

Depois de visitar a Basílica onde bispos são sagrados, novos santos são proclamados e onde por séculos e séculos as coloridas e bem coreografadas liturgias católicas acontecem, visite a maravilhosa Capela Sistina. Um pequeno livro comemorando a restauração da Capela que comprei enquanto no Vaticano tem o título que resume as pinturas que você vai ver em seu interior: Capela Sistina - Santuário da Teologia do Corpo Humano. É claro que está diante de obras como A Criação de Adão ou do Juízo Final torna-se momentos únicos e inesquecíveis, porém, minha maior fascinação com a Capela Sistina foi a do meu senso histórico de que naquele exato lugar são realizados os conclaves onde são escolhidos os novos papas da igreja. É dalí que se origina a tão famosa fumaça branca que anuncia a eleição de mais um sumo pontífice. É alí também onde todos os anos por ocasião da Páscoa acontece uma dessas coisas que só o Vaticano mesmo consegue criar com seus segredos, fofocas e intrigas.

Se você estiver por Roma na quarta ou sexta-feira da semana santa, tente participar da missa realizada na Capela Sistina. Nessa missa você vai ouvir o Miserere Mei, Deus composto por Gregorio Allegri em 1630. Por algum motivo ligado a supertição excessiva e secretiva do Vaticano, essa composição foi proíbida pelo Papa de ser copiada ou executada fora da Capela ou daquela missa específica sob pena de  excomunhão automática. Uma das coisas que mais chama a atenção nessa composição específica é o fato de, em meio ao canto coral, uma simples voz se destaca cantando a mais pura nota dó nas maiores alturas da nota, toda a música enche a Capela e você é elevado até o teto cada vez que o menino no coro (ou o castrato nos tempos antigos) atinge aquela difícil nota. A fascinação com a história desse Miserere não termina na sua técnica musical. Por causa da proibição decretada pelo Papa, a única maneira de se ouvir a música era participando da missa em um dos dias da Semana Santa. A tradição diz que lá pelo ano de 1770 um menino de 14 anos participou da missa na quarta-feira santa e ouviu aquela música. Mais tarde naquele dia, o menino sentou-se e escreveu toda a música de memória baseado no que havia ouvido durante a missa. O menino retornou na sexta-feira para checar se o que havia  memorizado estava certo e talvez fazer algumas correções. O nome desse menino era Mozart. Baseado na transcrição de Mozart, a música foi publicada em Londres no ano de 1771. Mozart não foi excomungado, mas sim admirado pelo Papa. Por falar em Miserere, saiba que a língua oficial do Vaticano é o velho e bonito latin. Isso significa que se você for tirar dinheiro no caixa eletrônico vai ser saudado pela máquina com a seguinte inscrição na tela:

Inserito scidulam quaeso ut faciundam cognoscas rationem

Pois bem, não deixe de estudar seu latin e, quem sabe, você é até
convidado para um bate-papo com o Papa.

By Alverson de Souza, atualmente mora na cidade de Boston (estado de Massachusetts) já por 10 anos.

Photo by Yakinodi

Posted by Josi Guimarães at 03.02PM to Religion | Link permanente | Comentários (1) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
TuesdayJuly 82008

Simplesmente não resisti!

Adrianabarra_site_2 Diante de tantos sites e blogs espalhados por ai hoje tive o prazer se ser apresentada ao site da estilista Adriana Barra.

Não estava procurando nada para comprar, até porque não acho bacana comprar roupas on-line, quando, falando de turismo e de lugares interessantes, minha amiga lembrou deste site que é realmente uma viagem.

Com uma sutileza impressionante o site nos leva às vielas da Toscana, aos pequenos vilarejos franceses, Mikonos, Copenhagem, Japão, Montreal, Lyon, Rio de Janeiro, Londres, enfim é uma viagem deliciosa e principalmente surpreendente, pois é a última coisa que você espera encontrar num site de estilista.

É impressionante como ele me fez lembrar aquelas caixas que a gente vai colocando as fotos e lembranças para um dia arrumar. De repente chega um amigo e você começa a mostrar tudo, uma a uma de memórias sem muita conexão de data ou itinerário, mas na ordem que as tira da caixa. É muito legal !

Parabéns aos criadores e obrigado por esta viagem deliciosa.

Para quem quiser passear: www.adrianabarra.com.br

Text by: Silvia Cardenuto

Imagem: do site Adriana Barra

 

Posted by Silvia Fagundes at 09.37PM to Web/Tech | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
FridayJuly 42008

A Natureza e a Arte - Festival de Arte Serrinha 2008

2006_2 Há uns anos uma amiga muito querida chamada Georgea me chamou para ir ao Festival de Arte Serrinha (Bragança Paulista, próxima a cidade de São Paulo), ela iria participar de um dos vários Workshop do Festival, aceitei o convite para um dos fins de semana mais agradáveis que já tive.

Desde a chegada ao local achei tudo muito interessante e convidativo, também saindo de uma cidade tão agitada, barulhenta, poluída e cheia de gente mal educada, para um lugar aonde a natureza é a principal atração e tão próxima a cidade de São Paulo, é realmente merecedor da nossa admiração!

Fomos parar na Hospedaria Rural, na verdade um sítio ecológico, aonde os donos te recebem como uma visita, e não como um hóspede (até hoje sonho com o suco de uva natural, com o bolo de maça e açúcar mascavo, e o ovo mexido no pratinho de madeira que comi lá no café da manhã). Cercada por esse verde a pousada ainda fica bem próxima a uma represa (não deve dar 5 minutos à pé), dá até para escutar o barulho da água nas acomodações, essas que são bem rústicas, coloridas, com rede na varanda, e de frente para a sala de banho, aonde é possível fazer suas necessidades quase que ao ar livre, praticamente um “selvagem” (risos!).

Andando por uma trilha no meio do mato (não sei se ainda é assim) você chega ao Galpão, a ‘balada da serrinha’, essa foi uma das coisas que mais me encantou nesse lugar, andar no meio do mato, no meio da noite com uma lanterna na mão para chegar até uma balada, que durante o Festival recebe convidados especiais (já passou por lá o Lenine, a Elba Ramalho, Arnaldo Antunes, e nessa edição irá receber Andreia Dias, Moska, e Cérebro Eletrônico com Raquel Coutinho).

Dsc_0094_baixa_5 Nesse mesmo Galpão acontecem algumas das oficinas do festival, as outras oficinas acontecem espalhadas pelo bairro da Serrinha em outras pousadas próximas e tão boas quanto a Hospedaria Rural, Artes Plásticas, Artes Cênicas, Fotografia, Gastronomia, Moda, Design, são algumas entre as várias áreas que o Festival oferece oficinas, com nomes renomados como Dudi Maia Rosa,  Alice Ruiz, Lucas Bambozi entre outros.

O que este Festival de Arte tem de mais encantador e particular é o seu objetivo, utilizar a natureza como fonte de inspiração da arte, e conscientização de um futuro melhor.

O Festival nesse ano vai para a sua 7ª Edição e irá acontecer do dia 7 ao dia 27 de julho, ainda há inscrições abertas para as Ofinas e outras atrações!

Text by: Josi Guimarães
Photo: Marcelo Delduque, jornalista e fotógrafo (se pudesse colocaria todas as fotos do blog)

Posted by Josi Guimarães at 02.52PM to Travel | Link permanente | Comentários (1) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
WednesdayJuly 22008

“Três loucas numa loja e a incógnita da dúzia de palavras”

2238291992_8caf1ced84_5 Sempre acontecem confusões e histórias engraçadas quando não conhecemos o lugar em que estamos ou as pessoas com as quais estamos lidando. Ou seja, viagens são os cenários perfeitos para esses acontecimentos inesquecíveis.

Certa vez, quando visitava a cidade de Orlando nos E.U.A, passei por uma situação triste, mas no fundo engraçada, pois se tratava de um problema de comunicação. Eu e duas amigas olhávamos animadas os souvenires de uma loja no interior de um parque de diversões quando, de repente, a moça que estava ao nosso lado começou a babar e tremer o corpo todo. Pensamos que ela estava levando uma descarga elétrica muito forte e imediatamente começamos a gritar. O único problema era que nenhuma de nós falava inglês, então gritávamos em português mesmo, fazendo sinais e apontando para a mulher. Percebendo a confusão, uma vendedora veio em nossa direção e, nesse exato momento, a moça parou de tremer o corpo e virou-se para nós com a cara mais normal do mundo, como se nada tivesse acontecido. É claro que a vendedora  pensou que éramos loucas e disse furiosamente algo em voz alta que deveria ser um sermão que, aliás todos na loja entenderam menos nós. A funcionária histérica retomou suas atividades atrás do balcão e, instantaneamente a moça voltou a chacoalhar o corpo.

Fizemos aquele escândalo e, novamente quando a balconista chegou, os movimentos da moça cessaram. Quando estávamos prestes a ouvir outro sermão que não fazia o menor sentido para nós, a moça caiu no chão, se debatendo em uma convulsão.

Vieram os paramédicos e deu tudo certo. Depois que a situação estava sob controle, a funcionária nos procurou e pronunciou uma dúzia de palavras que com certeza se combinaram num pedido de desculpas. Ou ela pode ter perguntado por que não socorremos a mulher. Bem, não faz diferença, não responderíamos mesmo. Tudo bem gritar feito loucas e receber uma bronca publicamente, agora, explicar que temíamos tocar a moça porque cogitamos a possibilidade de um choque quando na verdade ela só escolhia presentinhos inocentementes sem nenhum contato com energia elétrica, aí já seria humilhação demais.

Text by Beatriz Carvalho, autora do nosso primeiro post!
Photo: lrargerich

Posted by Josi Guimarães at 03.40PM to Travel | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
Suas coisas Ajuda Outras coisas Coisas legais
Direitos autorias © 1999-2007 Travelstart Nordic AB

Portions copyright Donvand Ltd. 2006
IATA Certified ZA UK IE NL LT
SE NO DK FI BR
US FR DE