Blogg

« May 2008 | Main | July 2008 »

ThursdayJune 262008

Um giro por Recife - Pernambuco

254538348_b95a15ea9e_o_4 Estive duas vezes em Recife, em 2004/2005 com amigos e em 2006/2007 com a namorada. E curti muito ambas as vezes a “Veneza Brasileira”!
Uma cidade perfeita para aproveitar uma cervejada na Praia de Boa Viagem de dia, curtir a agitada vida noturna ou curtir a cultura e atrações em casal.
Capital de Pernambuco, com um clima quente por quase todo o ano, é uma mistura perfeita de história e modernidade.
Já que na Praia de Boa Viagem o banho de mar fica proibido devido aos tubarões, o jeito é armar o guarda-sol na areia e dividir caixas de cerveja com a turma.
A noite, uma pré nos infinitos bares - com boa comida, vários estilos de música e chope geladíssimo - para depois aproveitar um forró, rock and roll, frevo ou maracatú.
A música, aliás, é um dos pontos fortes da cultura da região. Mangue Beat, Rock embalam cabeças pensantes que se reúnem conversando de política e do mundo. Do outro lado ficam os “playboys”, termo já muito difundido para representar a classe alta.
Para quem busca cultura, pode escolher entre a Casa da Cultura e o Museu Brennand. Para quem gosta de agito, o carnaval do Recife Antigo - Olinda mistura a tradição do carnaval de rua com o agito garantido.
Ainda falando de cultura, Recife Antigo abriga a primeira Sinagoga do Brasil. Uma bela escolha seria passar o São João em Caruarú e Bezerros ou ainda a Semana Santa em Gravatá.
Mas as belezas de Pernambuco não ficam reservadas só ao Recife. Olinda, vizinha-irmã divide as atenções dos turistas e é um marco recheado de história, cultura e arquiteturas belíssimas.
Saindo um pouco mais da região central, em direção ao litoral sul, praias como Tamandaré, Porto (Maracaípe) e Caneiros garantem um passeio cheio de belas paisagens e uma natureza ainda conservada. Brindada ainda com o encontro do Rio Ariquindá com o Oceano Atlântico.
Conhecida como uma das mais belas praias do Brasil, Porto de Galinhas faz valer a fama. Itamaracá e Maria Farinha também têm seu charme. Uma estrutura para satisfazer o mais exigente turista.
Uma parte do seu povo acolhedor e batalhador vai tentar a vida pelo mundo e volta nas férias de fim de ano.
Assim como as outras capitais brasileiras, Recife sofre com o problema da violência e da exploração sexual, mas com algumas dicas e um bom guia, dá para curtir tranqüilo e valorizar o turismo brasileiro.
Quem quiser começar uma viagem pelo nordeste, fará bem a escolher o Recife. Afinal, há alguns quilômetros você poderá também aproveitar as belezas de Natal, João Pessoa, Fortaleza e todo esse nosso inigualável litoral nordestino.

Text by: Michel P. Zylberberg autor do blog Rodando pelo Mundo

Photo: Nicholas Bittencourt

 

Posted by Flavia Mariano at 07.35PM to Travel | Link permanente | Comentários (1) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
MondayJune 232008

Vaticano: seja católico ou não - parte 1

Seja você católico ou não, uma visita ao Vaticano é uma experiência inesquecível. Aliás, esse menor Estado soberabo do mundo oferece oportunidade de turismo para todos os gostos: arquitetura, arte, história mundial, monarquia, política e é claro, religião.

A primeira vez em que visitei a Cidade Estado do Vaticano foi como parte de um turismo de pequisa que fiz pela Europa. Mochila nas costas e muitos mapas nas mãos, aventurei-me pelos lugares mais diferentes com importância para a história do cristianismo. Aventura acadêmica realizada através da bolsa de estudos que recebi para estudos na área de teologia e história.

Baslia_de_saint_petersroma Cheguei em Roma pela manhã e imediatamente saí pela cidade capturando tudo o que fosse possível, meu plano era simples: visitar o Vaticano à tarde e a cidade de Assis no dia seguinte. Comecei bem, saí pelas ruas de Roma com meu mapa na mão indo em direção ao Vaticano. É claro que me perdi completamente no caminho porque os mapas me são, muitas vezes, inúteis, devido ao meu pobre senso de direção. De qualquer forma, continuei andando e admirando as belezas históricas de Roma, cada virada de esquina, uma surpresa. Foi em uma dessas viradas que me deparei com a suntuosidade da Basílica Vaticana e a praça que abraça os seus peregrinos. Foi um momento único que me paralisou por alguns segundos, um desses momentos em que tudo vem à sua cabeça ao mesmo tempo, fiquei literalmente "de boca aberta" diante daquele monumento histórico. Em meio à toda essa confusão mental e emocional, fui tomado pelo meu lado racional prático: como é que eu vou ver isso tudo em apenas uma tarde? Basta dizer que, em vez de uma pobre tarde, gastei 3 dias dentro do Vaticano absorvendo cada momento, cada detalhe, cada cor, cada inscrição, cada, cada, cada... As possibilidades são infinitas. Na verdade, eu precisava era de uns 5 anos para absorver o mínimo possível.

Se você é um daqueles que não pode ir à Roma sem ver o Papa, então, sugiro coordenar sua agenda de viagem com a do Papa. O site do Vaticano oferece a agenda do papa com certa antecedência.

Tudo no Vaticano tem algum significado demonstrado em cores, vestimentas ou gestos. Observe tudo. Nada é feito por acaso ou sem um sentido histórico ou fundado na tradição. Não deixe de reparar (é quase impossível não reparar) nas vestimentas da Guarda Suíça desenhadas pelo grande Michelangelo - são 150 peças naquela vestimenta colorida. Por falar em cores, aprenda a difereciar as hierarquias no "reino monárquico vaticânico" (sim, não se esqueça de que o Vaticano é o único reino monárquico absoluto na Europa) - Na remota possibilidade de você ver um homem vestido com uma batina de puro branco andando em algum beco de Roma, não tenha dúvida, esse é o Papa.

Se você tiver tempo e oportunidade, não deixe de visitar as catacumbas do Vaticano. São escavações arqueológicas diretamente embaixo da Basilíca de São Pedro (por falar nisso, você sabe a diferença entre basílica e catedral?). Como é sabido na história, a basílica foi construída sobre um cemitério. A idéia do imperador romano Constatino
era a de que o Altar Maior da Basílica de São Pedro fosse eregido exatamente em cima da tumba onde foi enterrado o Apóstolo Pedro. O fato se passou e centenas de anos mais tarde o Vaticano iniciou escavações arqueológicas embaixo da Basílica e, para a surpresa de muitos, encontrou uma verdadeira cidade dos mortos. Você pode visitar as escavações enquanto em Roma. O único problema é que os ingressos são limitados a 250 por dia. A única maneira de conseguir ingressos é através do Escritório de Escavações do Vaticano: e-mail: scavi@fsp.va or uff.scavi@fabricsp.va, por fax: (39-06) 6987-3017, ou diretamente no escritório.

Se você só tem uma tarde ou um dia para visitar o Vaticano então, é melhor não ir porque você vai ficar maluco, mas se você tiver que escolher, visite a Basílica e a Capela Sistina.

Photo: Danferb

By Alverson de Souza, atualmente mora na cidade de Boston (estado de Massachusetts) já por 10 anos.

Posted by Josi Guimarães at 05.13PM to Religion | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
FridayJune 202008

Turismo nos banheiros do Japão

Banheiro01_4 Os banheiros no Japão são uma atração à parte. Até a Madonna, e outras celebridades mais, é fã dos banheiros daqui. Ela chegou a dizer que a privada é o melhor do país! O painel cheio de botões e o assento quentinho são o que mais agrada os turistas estrangeiros. Mas eu gosto mesmo é da criatividade dos japoneses. Tem cada banheiro...

Faz quatro anos e meio que moro no Japão (quatro em Tóquio e meio no interior) e, acreditem, ainda me surpreendo com as privadas e cia deste país. Sou blogueira e os meus leitores sabem que este é o assunto mais recorrente no Meu Japão.

Já escrevi sobre os botões da descarga (sempre difíceis de encontrar!), a decoração exótica (ou seria engraçada?), a praticidade, a modernidade e por aí vai.

É uma dica que eu deixo para todo turista: não se esqueça de reparar nos banheiros.

Eu garanto que são divertidos ou, no mínimo, diferentes do que estamos acostumados a ver no Brasil. Querem conferir? Aí vãos os links dos posts que escrevi sobre banheiros que encontrei por aqui. São apenas alguns exemplos. Tem muito mais! 

Calcinha na tampa da privada?

Xixi sem barulho

Gel desinfetante

Cadê o botão da descarga?

Banheiro-lula

Meu banheiro é (era) assim

No interior também tem banheiro legal

Text and photo: Karina Almeida, jornalista brasileira no Japão e autora do blog Meu Japão.

Posted by Flavia Mariano at 08.00PM | Link permanente | Comentários (2) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
ThursdayJune 192008

Na terra dos diamantes

Catedral1 Diamantina é assim: uma cidade pequena que guarda seus encantos e conquista os visitantes. Você consegue reconhecer as pessoas em dois dias de passeio pelas ruas de lá. Já vou avisando que o ponto de encontro da galera, principalmente dos jovens, é uma ladeira perto da catedral, onde podemos encontrar alguns lugares pra ir, como o Apocalipse point e o Café à Baiúca.
Para citar alguns dos pontos turísticos mais famosos, temos: Casa de Chica da Silva, Museu do Diamante e Casa de Juscelino Kubitschek. A Casa de Chica tem dois andares, porém o mais interessante está no segundo, que é uma relação entre os sete pecados capitais, as três virtudes e Chica da Silva. Gula, soberba, luxúria, preguiça, avareza, ira e inveja estão expostos em sete pinturas, em que a modelo é a ex-escrava, e ao lado do quadro encontra-se uma música que aborda o tema explorado na arte. Um grande painel central, dividido em três partes, mostra Chica representando esperança, fé e caridade.
Logo depois, andando mais um pouco e entrando pelas ruelas da cidade, chegamos à simples casa de pau-a-pique que foi a residência do ex-presidente JK durante a infância. Depois de sua morte, o local transformou-se em museu e abriga peças que pertenceram a esse ícone da política brasileira. Não se pode deixar de conhecer o Bar do Nonô, no porão da casa...
Na cidade também acontece a Vesperata, um dos principais eventos do local, que é o seguinte: perto da catedral, as mesas e cadeiras dos bares e restaurantes são dispostas ladeira abaixo e o maestro fica no meio regendo a orquestra. Cada componente da banda fica em uma das sacadas das casinhas do entorno da praça. Eles tocam desde rock até música espanhola. E, literalmente, dão um show!
No domingo, a cidade é calma, principalmente à tarde. Depois do almoço, as pessoas vão descansar enquanto um grupo de jovens senhores se junta no Beco da Tecla, que tem várias lojinhas de artesanato, e promovem o famoso Café no Beco – com direito à dança e violão.
Bom, vale também mencionar que um dos fatores que impulsionou o crescimento da cidade foi a UFVJM (Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri). De acordo com os habitantes de lá, durante a semana é grande a movimentação de alunos pelas ladeiras de Diamantina. E como grande parte dos estudantes vem de longe, é muito comum encontrar républicas por lá. Além disso, como a universidade é meio distante do centro, também faz parte do dia-a-dia ver a galera pedir carona para os carros que passam na estrada.
Quem gosta de história ou quer relaxar da correria das grandes metrópoles, Diamantina é uma boa opção de turismo. E se for para passar as férias de julho, preparem os casacos e aproveitem para participar do Festival de Inverno que acontece na cidade. O evento, promovido pela Universidade Federal de Minas Gerais, oferece a oportunidade para que o público assista a diversas peças teatrais, espetáculos de dança e shows de música com qualidade e a preços acessíveis. Sem dúvidas, vale a pena...

Text and Photo: Carina Andion do Blog Rotas de Viagem

Posted by Josi Guimarães at 09.25PM to Travel | Link permanente | Comentários (2) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
ThursdayJune 122008

A 6ª edição da FLIP

A sexta edição da Flip (Festa Literária Internacional de Paraty, cidade histórica do Rio de Janeiro), que acontece de 2 a 6 de julho, adotou como meta em 2008 colocar a literatura em diálogo com diversas áreas do conhecimento, desde música e cinema até psicanálise e futebol.

853735497_7c3778361f_o_3 Desde sua criação em 2003, a FLIP já recebeu alguns dos grandes nomes da literatura mundial, como Salman Rushdie, Ian McEwan, Paul Auster, Anthony Bourdain, Jonathan Coe, David Grossman, Lidia Jorge, Enrique Vila-Matas, Jeanette Winterson, J. M. Coetzee, Marcello Fois entre outros além dos brasileiros Ariano Suassuna, Ana Maria Machado, Millôr Fernandes, Ruy Castro, Ferreira Gullar, Luis Fernando Verissimo, Zuenir Ventura, Ruy Castro e Lygia Fagundes Telles, além de consagrados nomes da cultura brasileira como Chico Buarque e Caetano Veloso, tornando-se umas das mais importantes festas literárias mundial desde então.

A cada ano temos um homenageado, que nesse ano será Machado de Assis, em virtude do seu centenário de morte (1839-1908).

Além das atrações literárias a FLIP traz para seu evento nomes consagrados da música brasileira, como Luiz Melodia que neste ano irá abrir a noite de estréia do festival, os shows de abertura, que já valeriam a ida a Paraty.

Enquanto a programação principal acontece na Tenda dos Autores e é transmitida ao vivo na Tenda do Telão, vários outros eventos ocorrem simultaneamente em diversos locais como a Oficina Literária, FLIPINHA (programação infantil), e o Off-FLIP (leituras, shows e lançamentos de livros).

Os ingressos para as palestras e shows dessa edição de 2008 já estão à venda desde o dia 10 de junho e vai até 1˚ de julho (de R$8,00 a R$25,00). Confira no site oficial da Flip pontos de venda, programação completa do evento e maiores informações.

Photo: Felipe Miguel

Posted by Josi Guimarães at 10.39PM | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
WednesdayJune 112008

Próxima parada: Ferretti

Paradasc4 Esta é a Parada Ferretti, que fica próxima a Barra Velha, no km 91,5 da BR 101, em Santa Catarina.
Trabalhei por 1 ano e meio em Florianópolis, então costumava parar por lá quando vinha para casa em São Paulo nos finais de semana e feriados.
Tá, é estranho fotografar posto de gasolina, mas seguramente é uma obra de arte.
O Sr. Ferretti que idealizou é um pesquisador de madeiras e ela foi feita toda com troncos encontrados ao acaso, não tendo sido utilizado nenhuma árvore 'viva'. O projeto começou em 1996, a construção em 2002 e ele pretende terminar em 2008.
Predominantemente são eucaliptos, mas há outros tipos de árvores.
O destaque é a excepcional que fica pendurada no salão onde há a lanchonete. Pesando mais de 21 toneladas, ela é suspensa, deixando todas as raízes à mostra.
Sensacional, tem o teto todo escorado em volta do tronco suspenso e o seu transporte e colocação no local foi uma verdadeira operação de logística e engenharia.
Além do posto, da lanchonete e dos lindos banheiros com as cubas esculpidas em troncos, há também uma loja de vinhos, uma de couro e uma de artesanato.
Para completar, o atendimento é fantástico em qualquer parte do posto ou das lojas.
Eu acho que vale a parada, nem que seja para ver o tronco. Lindo!

Text and Photo by Mô Gribel do blog de viagem Por onde andei...

Posted by Flavia Mariano at 11.23PM | Link permanente | Comentários (0) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
MondayJune 92008

Fronteiras remotas: Uzbequistão

“No coração da Rota da Seda, o cheiro a especiarias, o cheiro a cor, o cheiro a história preenche o ar. Preenche a alma.”

Bukhara_2 Parece que as cores e o exotismo aumentaram quando entrei no Uzbequistão pois vinha eu de um mês no Cazaquistão onde o verde da Natureza tinha sido a cor marcante. Sim, tinha recuado alguns séculos no tempo, as cores aquecerem, as caras mudaram, estava eu onde eram épocas dos antigos caravanserais e rotas comerciais de especiarias, incenso e seda.

Uzbequistão, onde Alexandre o Grande se apaixonou, por onde Genghis Khan cavalgou e onde o Império de Timurlão se eterna, é sem dúvida um destino ainda por conhecer. Bem no coração da Ásia Central, este pais reserva algumas surpresas entre elas arquitetura fantástica, exóticos mercados, pessoas acolhedoras e história presente a cada canto que se viaja.

Território de mistura étnica e invasões, o Uzbequistão recebeu persas, gregos, mongóis, turcos e russos, criando assim um cenário de caras e tons de pele diferentes. Uma visita a um mercado é uma viagem a um mundo cheio de história e mistura cultural.

Informações Gerais
O pais é relativamente fácil de se viajar independente. Há uma linha de comboio que atravessa as zonas de maior interesse. Algumas zonas mais remotas fazem-se bem com autocarro ou táxis. Há bons hoteis e pousadas em todas as cidades a preços muito razoáveis e com boas condições de alojamento.

A não perder
Bukhara (foto), Samarcanda, Khiva e Shakhrisabz.

Text and photos by João Leitão, português colecionador de histórias pelo mundo, atualmente mora  no Marrocos. 

Posted by Josi Guimarães at 08.02PM | Link permanente | Comentários (1) | TrackBack (0)



Share/Save/Bookmark
Suas coisas Ajuda Outras coisas Coisas legais
Direitos autorias © 1999-2007 Travelstart Nordic AB

Portions copyright Donvand Ltd. 2006
IATA Certified ZA UK IE NL LT
SE NO DK FI BR
US FR DE